Como surgiu o Partiu Espanha?

Oie pessoal, tudo bem? Que saudades que eu estava de vocês! Felizmente, voltamos com TUDOOOOO!

Durante esse tempo  em que estive afastada aqui do blog, passei a utilizar de forma mais frequente o instagram do @Partiu Espanha, que aliás, se você ainda não segue, corre lá que tem um montão de dicas.  https://www.instagram.com/partiuespanha_/

Instagram do Partiu Espanha: https://www.instagram.com/partiuespanha_/

Nesse vai e vem das mudanças pessoais que tive nos últimos dois anos (calmaaaaa, que eu vou atualizar vocês de todos os babados, prometo!), recebi novos seguidores.

E das várias perguntas que eu recebo diariamente, boa parte deseja saber como eu vim parar na Espanha e de como  surgiu o Partiu Espanha . Então,sem mais delongas, vamos ao que interessa!

Como eu vim parar na Espanha?

Era 2014, morava em São Paulo, aonde eu estudava fisioterapia na parte da noite e pela manhã trabalhava, pasmem, como vendedora de curso de espanhol e inglês sem dominar nenhum dos dois idiomas – kkkk .

Nem passava pela minha cabeça vir morar na Espanha, no máximo férias no país, já que naquela época eu tinha  um relacionamento com um espanhol. Das reviravoltas que a vida dá, a minha deu uma de 180º graus.

Casei e embarquei de mala e cuia para vir morar em Valência, essa cidade maravilhosa que ganhou meu coração.

Valência. Foto: @partiuespanha_ 2021

Fiquei encantada logo de cara e o amor pela Espanha começou a florescer. Passaram-se os três primeiros meses e junto aquela fase eufórica que todo brasileiro sente quando sai do país pela primeira vez.

Comecei a tropeçar nas primeiras dificuldades: Falta de informação e zero domínio da língua espanhola.

Me diz, qual a chance disso dá certo? No meu caso, quanto mais passavam-se os dias mais azedava a minha estancia por aqui. Lembrando que eu tinha chegado em um país que estava afundando em uma crise econômica sem precedentes.

Como qualquer imigrante, tive que engolir muita informação contraditória, um sem-fim de burocracias, reunir incontáveis documentos e para fechar com chave de ouro, levava em cima uma frustração enorme de não conseguir sair do lugar – ou ao menos, a sensanção era essa.

Comecei a sentir falta do meu dia a dia no Brasil, da família, da minha vida social e principalmente, da minha independência financeira. Me sentia completamente perdida e sozinha. Os dias passaram e a felicidade também.

A volta por cima que não foi

Mesmo perdida nesse mar de dúvidas, encontrei uma ONG direcionada para imigrantes recém-chegados na Espanha e realizei um curso de espanhol básico com um preço super acessível.

Lá conheci pessoas de várias partes do mundo e histórias que vocês nem conseguiriam imaginar. Isso me animou bastante. Comecei a buscar trabalho e formas de regularizar minha situação no país.

Nesse meio tempo morando na Espanha, a comida foi minha grande companheira e acabei ganhando 10kg em pouco tempo.

Eu estava super desanimada,afinal, meses antes tinha lido em outros blogs como a vida por essas terras era simplesmente MARAVILHOSA.

E não digo que não é, mas tem um lado B que quase ninguem te conta. E foi aí, que além da comida passei  a ter uma outra companhia: A Escrita.

Comecei a escrever em um caderno. Virou meu melhor amigo, era praticamente uma terapia, aonde eu chorava as pitangas da situação que estava vivendo e na qual por mais que buscasse não encontrava uma saída.

Perdi noite inteiras sem poder dormir, ganhei muito peso, buscava soluções e não encontrava. Isso começou a me afetar psicologicamente e fisicamente, pois passei por episódios de ansiedade e a vontade de voltar ao Brasil já era maior que TUDO.

Eu estava tão mal que até coloquei um ponto final no meu casamento. Nada mais importava, eu só queria fazer as malas e voltar. Já ouviu dizer por aí que a vida no exterior não é para quem quer, mas sim para quem pode? Assino embaixo.

Adeus, Espanha!

Depois de largos quase 8 meses na Espanha, comprei minha passagem de volta e aí tive uma grande surpressa no aeroporto de Lisboa: Quase fui presa por estar ilegalmente em território europeu (mas essa história te conto depois!).Como vocês podem ver, deu merd… na chegada e na saída (kkkkkk).

Minha relação com a Espanha foi de amor e ódio. Eu me senti vulnerável pela primeira vez. Chorei MUITO! Arrependida de ter largado um concurso público aprovado, minha faculdade, meu emprego,tudo.

Minha auto estima e autoconfiança tinham ido pelo ralo. Eu tava emocionante cansada.Voltei para o Brasil e  foi um calmante para meu coração, minha saúde voltou ao normal, consegui um trabalho de recepcionista em um hotel, reencontrei a familia, os amigos, mas algo tinha mudado. Eu mudei!Já não me sentia parte daquele lugar.

Doideira né? Eu sei. É bem confuso de entender. Fiz uma reflexão profunda sobre tudo o que tinha acontecido e vi que a vilã da história era apenas uma: 🙋🏽‍♀️ Eu mesmo!

Ver las imágenes de origen
Quando você busca um culpado…e é você mesmo.

Não adiantava colocar a culpa nos outros, nem comparar minha experiência com a de outras pessoas, nem na crise econômica, em nada.

Eu dei o passo errado. E ainda bem que eu me dei conta disso a tempo. Retornar ao Brasil foi um acerto. Porque eu percebi que eu poderia criar minha zona de conforto do outro lado do ocenado, mas isso exigia um preparo psicologico, financeiro e planejamento.

Fiquei no Brasil por seis meses. E dessa vez fiz tudo certinho. Planejamento ok, parte financeira ok, documentos ok. Voltei para a Espanha sem medo e com a mente totalmente aberta. Sem dúvida, passar por todo aquele perrengue foi um divisor de águas.

Em 2015 nasce o Partiu Espanha

Um belo dia tive a idéia de abrir um blog e contar o que ninguem te conta sobre a vida no exterior, ou pelo menos, o lado B de morar na Espanha sendo estrangeiro. Achei que ninguem ia ler, sério!

Comecei a receber os primeiros comentários, os primeiros e-mails, histórias de pessoas que estavam no Brasil a caminho da Espanha e de brasileiros que já residiam por aqui e haviam passado por situações similares a minha. Senti a necessidade de alertar a outros brasileiros através da minha primeira experiência de como nem tudo que reluz é outro.

Aproveitei o embalo e comecei a escrever também sobre processos burocráticos, bolsas de estudos, curiosidades, costumes, roteiros de viagens que fiz pelo país e claro, contar como estava sendo a  minha nova caminhada por essas terras.

De lá pra cá a minha relação com vocês foi ficando tão, mas tão próxima que alguns leitores viraram amigos, companheiros com quem trocamos informações, conteúdos, enfim, fico super feliz de ter criado essa comunidade de brasileiros que são apaixonados pela Espanha.

Nacionalizada espanhola!

Felizmente, a internet cada vez é mais democrática e hoje é possivel encontrar muitos outros blogs, canais no youtube e instagram com dezenas de  brasileiros compartilhando suas experiências no exterior, ajudando a vocês entenderem a vida do lado de cá e fortalecendo esse laço Brasil-Espanha.

A você que me acompanha desde 2015, muito Obrigada! É um prazer compartilhar cada texto com vocês. Aos que chegaram agora, sejam bem-vindos a bordo! Espero que meu conteúdo seja últil para você!

Um super beijo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *