Minha primeira viagem internacional | Rumo a Espanha

Oi gente, como vocês estão? Alguém aí lembra como foi a sua primeira viagem internacional? Já quero saber de todos os detalhes, hein! Hoje te conto a minha, senta que lá vem história!

Eu sempre fui aquele tipo de pessoa que prefere mil vezes ir de carro ou ônibus do que encarar uma viagem de avião. Não adianta, eu fico muito nervosa e mal consigo dormir ou simplesmente desfrutar do voo.

Agora imagina como eu estava uma semana antes de embarcar na minha primeira viagem internacional e completamente sozinha? Eu tremia mais que um Chihuahua.

De Belém do Pará até São Paulo

Como uma espécie de sofrimento prévio, encarei primeiramente um voo de 4 horas da minha cidade até São Paulo.

Motivo? Comprei uma passagem promocional pela Ibéria, com voo direto para Madri partindo do aeroporto de Guarulhos.  O trajeto Belém-São Paulo era algo conhecido para mim, pois já estava acostumada, afinal, eu já tinha morado em Sampa e conhecia bem o aeroporto.

O ruim de comprar passagem promocional é que quase sempre você não escolhe a data que deseja embarcar e nem o horário.

Minha gente, foram mais de 24 horas viajando (entre escalas e voos de conexão). Tenso. Era meu teste de fé, porque eu amo viajar, mas eu detesto  avião.E para coroar essa primeira aventura internacional, ia chegar em pleno inverno europeu. C-O-R-A-G-E-M!

Cheguei as 5h da manhã em São Paulo e o próximo voo era só as 17;00h. Haja eu bater perna de um lado para outro tentando driblar esse tanto de tempo.

Andei o aeroporto inteiro, dormir agarrada nas minha malas, comi, tomei um café e cada vez que eu olhava o relógio tinham passado apenas cinco minutos. Dava onze da noite mas não dava as cindo da tarde.

Finalmente, fiz o check-in e vi muita gente vestida parecendo que iam para a entrega do Oscar. Casaco de pele, botas longas e até luvinhas. Eu toda trabalhada na roupa do seu madruga. Bem básica!

Como as pessoas me olhavam kkkkk

Simbora! Meu voo de São Paulo para Madri

Faltando poucos minutos para embarcar, minha ansiedade estava a mil e comecei a ter uma dor abdominal, suar frio, uns tremeliques loucos e pensei: Mulher, se acalma! Depois que você entrar no avião isso vai passar. Sonho meu. Pirou foi tudo!

O voo acabou atrasando a saída porque caia uma chuva medonha, com direito a raios e os diabos a quatro.

Ou seja, clima mega agradável para sua primeira viagem internacional atravessando o Atlântico. Enfim, levantamos voo e o brinde da passagem promocional era vir na fila do meio, sem direito a ter aonde encostar a cabeça.

Adeus, Braseeeeel!

Ao meu lado vinham três britânicos e outros quatro nas poltronas de trás. Até aí tudo ok.Pensei: Tô super cansada, com certeza vou relaxar e dormir. Doce engano.Com uns 30 minutos de voo o avião passou por uma turbulência tão forte, que a minha alma saiu do corpo umas 10 vezes.

Em seguida tudo se apagou e tivemos a sensação do avião ter perdido altura. Você já entrou em um elevador e ele “despencou” bruscamente porém logo voltou ao normal?

Pois essa foi, mais ou menos, a sensação que tivemos. Questão de segundos, tudo escuro, apenas as luzes de emergência e meu povo, uma gritaria doida. Meu coração na boca. Uma experiência terrível e que não desejo a ninguém.

Frio na barriga na primeira viagem internacional? Quem nunca?

 

Tudo voltou ao normal, mas não por muito tempo. Gente, como se isso não tivesse sido o bastante, começou um barraco tenebroso dentro do avião.E adivinha em qual fila? Na minha. Inacreditável.

A coisa ficou tão tensa, que um passageiro deu um soco na cara do outro, as aeromoças tentavam separar, eu sem saber o que fazer, vários fofoqueiros se amontoando para ver o que acontecia. E o pau comendo no centro.

Um passageiro forte a alto conseguiu reverter a situação com a ajuda de outros. E o agressor teve que ser amarrado, já que ele estava completamente fora de si e alcoolizado. Quando pensamos que por fim tudo estava em paz, o cara passou o resto da viagem dando gritos como um louco. Até papel higiênico enfiaram na boca dele e nada. ( kkkk foi ba-ba-do).

Felizmente, me trocaram de lugar, porém não dei a sorte de ir para a primeira classe e o arrependimento já tomava conta do meu ser. Um senhorzinho que que viajava ao meu lado, me olhou e disse: Acho que não chegaremos a Madri.

Lamento até hoje não ter agradecido essa palavra de conforto em um momento tão especial (kkkk). Não seja esse tipo de pessoa, pelo amor de Deus.

Por conta dessa confusão toda o jantar foi servido com atraso. A aeromoça, com um sorriso nervoso na cara me perguntou: “Pescao (pescado), Pollo (frango) o Ternera (carne) ”?

Gente, eu não sabia nada de espanhol e não tinha a mínima ideia do que era isso. Fiz cara de paisagem e ela fez a pergunta em inglês. PIOROU!! Eu só queria chorar, sério!

Não acredito que vou ficar sem comer…

 

Felizmente ela deu uma última opção: Pasta. Foi Deus pegando na minha mão, eu estava mooooorta de fome e sabia que isso era macarrão com alguma coisa por cima. Jantei. O voo seguiu sem turbulências, mas descansar que é bom, nada.

Bem-vindos a Madri!

A viagem foi longa.  Não acreditava que estava acontecendo tudo isso na minha primeira viagem internacional.O cara não deu trégua e passou horas gritando. Todos os passageiros estavam cansados e estressados com a dita viagem.Quando pensávamos que por fim colocaríamos os pés em solo europeu, o piloto do avião anuncia que não poderíamos desembarcar até a chegada da polícia.

Eles foram super rápidos, entraram no avião e se dirigiram até o passageiro que armou toda a confusão e estava ao fundo da aeronave.Finalmente conseguimos desembarcar! Que alivio! Até lembrar que eu precisava passar por um dos controles migratórios mais exigentes do mundo.

Eu perdida sem saber para onde ir, fui seguindo o povo do avião até chegar nas cabines de imigração. Entrei em uma fila que praticamente não andava enquanto que a do lado o policial só carimbava e não perguntava nada.  Será que sou sortuda?

Chegou na minha vez, eu já estava tão estressada da viagem, de não dormir, de cansaço, que todo o nervosismo ficou pelo caminho. Respondi as perguntas em português, mostrei os comprovantes e tive o passaporte carimbado.

UFA! Depois disso uma mistura de sentimentos tocou meu coração. Era adrenalina, felicidade, alegria, era tudo ao mesmo tempo. Nem acreditava que estava na Europa.Que sonho!

Última parada!

Lembra que disse aí em cima que comprei a passagem numa promoção? Minha conexão de Madri a Valência era simplesmente de 11 horas. JESUS COROADO! Eu já não aguentava de cansaço e sono, mas sabe quando você não consegue dormir de tanta felicidade?

Conheci o aeroporto de cabo a rabo, ia pra um lado, ia pra outro e arrisquei no espanhol meia-boca pela primeira vez. Sabe o mais legal? Fui bem atendida em todo momento. Vencida pelo sono, me rendi e dormir no banheiro. Soa fim de carreira né? Mas gente, era um banheiro na Europa, em Madri, então tá valendo, ne? hahaha

Alegria de concluir a primeira viagem internacional

 

O mais legal de tudo isso? Essa história rende até hoje boas risadas! Felizmente, jamais voltei a pegar um voo tão louco assim, mas essa sem dúvida  a minha primeira  viagem internacional marcou!

Me conta como foi a tua primeira viagem fora do Brasil. Tô curiosa!

Um beijo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *